Repórter News - www.reporternews.com.br
Polícia Brasil
Sexta - 24 de Novembro de 2006 às 13:29

    Imprimir


Um homem acusado de cometer homicídio no Paraná está preso no presídio Pascoal Ramos, em Cuiabá. Quezil Góes de Siqueira foi identificado após ser denunciado no Programa Linha Direta, exibido pela TV Globo ontem à noite.

Quezil Siqueira é acusado de ser um pistoleiro de aluguel contratado pelo bancário aposentado José Delfuzzi Filho para matar a mulher dele, Luzia Bergo Delfuzzi (58), no interior do Paraná.

De acordo com o delegado responsável pela prisão, José Abdias Dantas, Quezil Borges foi preso no dia 24 de setembro por roubo e furto no município de Barra do Bugres. Segundo o delegado, a identificação aconteceu após a exibição do programa.

Quezil Borges foi transferido para o Presídio Pascoal Ramos, em Cuiabá, e José Delfuzzi Filho, está preso aguardando julgamento.

O caso

Quezil fugiu no dia 6 de novembro de 2005 do mini-presídio de Paranavaí, no Paraná. Ele é acusado de ser um pistoleiro de aluguel contratado pelo bancário aposentado José Delfuzzi Filho para matar a esposa Luzia Bergo Delfuzzi (58).

Com patrimônio avaliado em R$ 6 milhões, Luzia conheceu Delfuzzi Filho em 1987 quando ele era gerente de sua conta bancária. Um ano depois, os dois se casaram sob regime de comunhão universal de bens, apesar da família dela ser contra. Um mês após a lua-de-mel, José Delfuzzi se muda sozinho para São Paula alegando que fora transferido pelo banco. Luzia continua morando em Paranavaí, cuidando do pai idoso.

Dezessete anos depois, a situação continuava igual: Delfuzzi morando sozinho em outro estado, sempre com a desculpa de que estava trabalhando. Ao se aposentar, ele se muda para uma fazenda em Nova Marilândia (MT), onde é eleito vereador. Até que ele sofre um enfarto e, no hospital, Luzia descobre que ele vivia maritalmente com outra mulher, com quem já tem dois filhos.

Luzia entra com pedido de separação de bens e pensão alimentícia, já que o marido usufruía dos bens e não contribuía com as despesas de casa. Segundo acusação do Ministério Público, José Delfuzzi então contrata os serviços de Quezil na cidade de Nova Marilândia para assassinar a esposa e herdar todo o patrimônio sozinho.

José Delfuzzi é acusado de ter levado o pistoleiro, com outro comparsa não identificado, para a cidade de Paranavaí, onde pagou a hospedagem deles em um hotel. Quezil ficou hospedado na cidade por quase 10 dias, até que se apresenta como jardineiro para Luzia e oferece seus serviços por R$ 30. Ela aceita e é assassinada a facadas pelo pistoleiro. Quezil foi preso menos de um mês após o crime e confessou a participação. Mas ele fugiu da cadeia de Paranavaí no dia 6 de novembro de 2005.





Fonte: RMT-Online

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://www.reporternews.com.br/noticia/258613/visualizar/