Publicidade
Repórter News - www.reporternews.com.br
Nacional
Sexta - 27 de Outubro de 2006 às 17:05

    Imprimir


Os dez controladores de vôo que trabalhavam na torre de Brasília no dia da colisão do Boeing 737-800 da Gol com o jato Legacy serão ouvidos nas próximas segunda e terça-feira pela Polícia Federal.

Os locais do depoimento serão divulgados pela Aeronáutica. Os controladores de vôo que trabalhavam nas torres de Manaus e São José dos Campos serão ouvidos após a prorrogação de 60 dias do inquérito policial. O prazo inicial de 30 dias termina no próxima dia 5.

O delegado responsável pelo caso, Renato Sayão, segundo a Polícia Federal, disse que só ouvirá os controladores dessas cidades após decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), já que três órgãos investigam as causas do acidente e as informações não são compartilhadas.

Ainda no dia do acidente a Polícia Civil ouviu os pilotos do Legacy e iniciou a investigação. Seis dias depois, a competência foi passada para a Polícia Federal, mas a Civil não foi afastada. Uma Comissão de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), da Infraero, também está no caso e se recusa a passar o resultado da análise das caixas-pretas, o que motivou a PF a pedir um posicionamento do STJ sobre qual o órgão responsável pelas investigações sobre a queda do avião da Gol, matando 154 pessoas.

O ministro da Defesa, Waldir Pires, já havia afirmado que o sigilo das investigações conduzidas pelo Cenipa é garantido pela Convenção de Aviação Civil Internacional, conhecida como Convenção de Chicago. "Foi comunicado ao delegado [Renato Sayão, da Polícia Federal] que há uma norma internacional que impede o repasse de informações consideradas sigilosas para a integridade das investigações. Agora, se ele pedir o material à Justiça, e ela determinar, todas as informações serão encaminhadas", disse.





Fonte: Agência Brasil

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://www.reporternews.com.br/noticia/265096/visualizar/