Publicidade
Repórter News - www.reporternews.com.br
Tecnologia
Quarta - 27 de Outubro de 2004 às 16:22

    Imprimir


A Microsoft renovou hoje seu discurso contra o sistema operacional Linux, seu principal rival no mercado de software corporativo. O presidente-executivo da companhia, Steve Ballmer, disse em uma carta enviada a clientes que o sistema livre é menos seguro e mais caro de se manter.

"Algumas companhias sabem o que elas estão realmente gastando", disse Ballmer, citando vários estudos que mostram que o custo de se contratar administradores e engenheiros de software para se manter sistemas baseados em Linux supera os benefícios gerados pela licença gratuita do sistema.

O Linux é um sistema operacional de código aberto, o que significa que ele pode ser copiado e modificado livremente. Esta característica tornou o software popular entre empresários que buscam economia nos custos com Tecnologia da Informação (TI).

Os distribuidores de sistemas Linux, como Novell, Red Hat e fabricantes de computadores como a IBM, conseguem dinheiro com o sistema ao venderem atualizações e serviços de suporte aos usuários. A Microsoft, que compete contra o Linux no mercado de servidores corporativos, citou vários estudos que mostram que os gerentes de TI podem reduzir pela metade o número de servidores que precisam se usarem o Windows Server.

Cinco entre 14 companhias pesquisadas divulgaram informações detalhadas sobre custos de TI e "cada uma destas cinco empresas descobriu que o Linux é mais caro (entre 5% e 20%) que ambientes da Microsoft atuais", escreveu Ballmer em um email enviado a clientes, o segundo encaminhado este ano.

O porta-voz da Novell, Bruce Lowry, rebateu as afirmações dizendo que muitos dos mesmos estudos independentes também mostram que o Linux tem vantagens de custos sobre o Windows em outras situações e que a popularidade do Linux é a melhor prova de sua competitividade. "O fato do Linux ter crescido tão rapidamente durante os últimos cinco ou seis anos evidencia a percepção de valor (sobre o sistema)", afirmou Lowry.

Defensores do Linux também argumentam que ele é mais seguro porque qualquer pessoa pode ver seu funcionamento. Ballmer concedeu uma derrota nesse ponto, mas afirmou que a Microsoft criou um sistema melhor para identificar problemas de segurança em seus produtos.

Em resposta a reclamações de usuários, a Microsoft adotou a iniciativa "Computação Confiável" no início de 2002 para tornar seus programas mais seguros. Ballmer também disse que a Microsoft tem uma estratégia melhor para consertar vulnerabilidades e proteger consumidores contra possíveis processos de violação de direitos autorais e de patentes.

Os usuários Linux foram surpreendidos quando a SCO Group processou uma companhia por uso do sistema aberto. A SCO alega que o Linux contém códigos de sua propriedade e está envolvida em um processo judicial contra a IBM, acusada de embutir trechos de programação da SCO no Linux. Em resposta, vários defensores do Linux, incluindo a Hewlett-Packard, ofereceram indenizar os clientes que usam o sistema livre.

Ballmer afirmou que "os fatos mostram que o Windows tem um custo total de propriedade menor que o Linux; o número de vulnerabilidades de segurança é menor no Windows e que a resposta do Windows em caso de falhas é melhor que a do Linux. Além disso, a Microsoft fornece identificação superior de seus produtos".




Fonte: Reuters

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://www.reporternews.com.br/noticia/369599/visualizar/