Publicidade
Repórter News - www.reporternews.com.br
Saúde
Quinta - 16 de Julho de 2020 às 18:45
Por: Carlos Celestino | Secom-MT

    Imprimir


Equipamento proporciona uma diminuição de contaminação - Foto por: Tchélo Figueiredo - SECOM/MT
Equipamento proporciona uma diminuição de contaminação - Foto por: Tchélo Figueiredo - SECOM/MT

Nesta quinta-feira (16.07), profissionais do Hospital Estadual Santa Casa participam de uma capacitação sobre o uso da cápsula de isolamento individual, equipamento usado nos pacientes internados e que estão em tratamento da Covid-19.

Na prática, essa nova ferramenta não substitui o respirador mecânico, mas atua como instrumento auxiliar precoce para reduzir a necessidade de intubação do paciente.

O treinamento está sendo realizado pelo fisioterapeuta Manoel Amorim, criador do equipamento, que faz parte da empresa Samel, e veio de Manaus (AM) para instruir sobre modos técnicos e teóricos os profissionais de fisioterapia e enfermaria da unidade. A capacitação aborda o uso correto da ferramenta que já demonstrou excelentes resultados durante o tratamento de doentes infectados pelo coronavírus.

O equipamento é mais um mecanismo adotado pelo Governo de Mato Grosso, por meio de parceria com a Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso (Fiemt), responsável pela produção do material no Estado. A instituição encaminhou 400 unidades do equipamento. Além da nova entrega, a empresa já havia doado 150 cápsulas no dia 3 julho.

Outro importante benefício da nova tecnologia é a redução de contaminação do vírus no ambiente hospitalar, protegendo profissionais durante o tratamento do paciente. A cápsula possui um sistema de filtragem de ar, acoplada à cama do hospital, que realiza a purificação durante o processo de respiração do doente, diminuindo o risco de infecção, conforme explicou a diretora do Hospital Estadual Santa Casa.

“Com a cápsula conseguimos manter o paciente sem que ele contamine o ambiente. Isso é possível porque a estrutura é bem construída, possui uma extensão equipada com filtro para limpar e conter o vírus retido que é eliminado durante todo e qualquer movimento respiratório do paciente. O profissional que estiver por perto, tem essa fragilidade reduzida, de inalar partículas de vírus”, disse a diretora Patrícia Neves Dourado.

O chefe de gabinete do Governo de Mato Grosso, Alberto Machado, comemorou a chegada dos técnicos da empresa e entrega desses novos equipamentos auxiliares no tratamento dos infectados. O gestor destacou que “são novas alternativas para solucionar e minimizar toda situação no tratamento dos pacientes com coronavírus. Estamos muito esperançosos com o treinamento. Esperamos que essa cápsula venha a ser uma solução importante para que a gente consiga tratar os pacientes”, pontuou.

Além disso, ele destacou que o governador Mauro Mendes e o secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, estão empenhados nas ações e “vêm atuando em várias frentes para tentar diminuir o contágio dos profissionais da saúde que atuam no tratamento dos doentes e outras formas de diminuir a necessidade de uma possível internação na UTI”.

O presidente da Fiemt-MT, Gustavo Oliveira, disse que a instituição tem atuado como parceira no combate ao novo coronavírus junto do Governo de Mato Grosso, sempre buscando novas técnicas e estratégias para salvar vidas.

O gestor destacou que “uma das estratégias foi trazer de Manaus essa experiência exitosa da empresa Samel. O Senai de Mato Grosso começou a fabricar, temos mais 500 unidades, estamos trazendo essa mais nova técnica” para capacitar os profissionais sobre o uso do equipamento, que tem apresentado bons resultados no tratamento dos infectados pela Covid-19.

Já o presidente da Empresa Samel, Luiz Alberto Nicolau, disse que “o Governo de Mato Grosso está preocupado em achar soluções para um problema grave que é o coronavírus”. Ele também destacou que o uso da cápsula reduz o tempo de tratamento do paciente.

A Cápsula Vanessa

O sistema de cápsula de isolamento individual de leitos para pacientes da Covid-19 foi criado pelo fisioterapeuta Manoel Amorim. O objetivo era buscar por um equipamento eficiente para diminuir a necessidade de intubação precoce de pacientes infectados pelo coronavírus.

O equipamento mostrou um resultando eficiente quando foi usado na primeira paciente com a Covid-19 que foi curada. Após o resultado, o equipamento foi batizado como “Cápsula Vanessa”, em homenagem a uma paciente que foi tratada com o novo equipamento.

A cápsula possui uma estrutura de PVC e é equipada com filtro de ar, que permanece acoplada à cama do hospital, isolando a parte superior do paciente e evitando que ele acabe contaminando outras pessoas por meio de um mecanismo que retém o vírus.

O equipamento proporciona mais rotatividade nas vagas dos hospitais, diminuindo as chances de contaminação. Na falta de quartos isolados, pacientes em leitos de UTIs podem dividir o mesmo quarto sem que ocorra a transmissão do vírus.





Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://www.reporternews.com.br/noticia/437082/visualizar/