Publicidade
Repórter News - www.reporternews.com.br
Saúde
Quarta - 28 de Outubro de 2020 às 09:16
Por: Patrícia Sanches e Airton Marques/RD News

    Imprimir


Osecretário estadual de Saúde Gilberto Figueiredo aposta que o governo federal não vai descumprir a legislação e vai imunizar a população contra o coronavírus. Gilberto salienta que praticamente todos os estados do país não têm recursos financeiros disponíveis para investir na compra de vacinas, a exemplo do que fez São Paulo, sob João Dória. "Não dá para comparar o estado de São Paulo com os demais", argumenta o secretário nesta quarta (28), em entrevista à imprensa, durante o lançamento do programa de investimentos “Mais MT” – que prevê obras em praticamente todos os setores – no Centro de Eventos do Pantanal.

Na ocasião, Gilberto preferiu não polemizar ainda mais o embate entre o governo federal e o de São Paulo sobre a compra ou não da Coronavac para ajudar na imunização da população contra a Covid-19. O ministério da Saúde chegou a anunciar a intenção de compra e sinalizou envio de doses para Mato Grosso em janeiro, mas recuou após determinação do presidente Jair Bolsonaro que segue em rota de colisão com Doria.

“O plano nacional de imunização preconiza a obrigatoriedade do governo federal para suprir as necessidades do país. Eu quero crer que tão logo tenhamos uma vacina disponível o ministério da Saúde fará as aquisições e a distribuição para todos os Estados”, frisa.

Andhressa Barboza

Gilberto Figueiredo

Essa é a principal aposta do governo estadual porque, segundo ele, Mato Grosso não tem condições de arcar com este gasto. Apesar disso, pondera que, “se não houver outra alternativa, vamos ter que pensar nisso (compra de vacinas)”. Finaliza a entrevista, entretanto, afirmando ter convicção que o ministério da Saúde vai aportar os recursos necessários para a imunização do país.

Gilberto também evita entrar na discussão sobre a obrigatoriedade da vacina. Ressalta que a legislação já prevê alguns casos em que a população é obrigada a ser vacinada, mas pondera que isso será debatido no momento oportuno, quando se tiver o a vacina contra a Covid-19.





Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: http://www.reporternews.com.br/noticia/438894/visualizar/