Publicidade
Repórter News - www.reporternews.com.br
Politica Brasil
Terça - 27 de Janeiro de 2009 às 08:39
Por: Pollyana Araújo

    Imprimir


Com medo da crise mundial afetar Cuiabá, o prefeito Wilson Santos (PSDB) "decretou" redução extrema dos gastos por 100 dias. Todo "tostão" retirado dos cofres da prefeitura deve ter aval do prefeito tucano. "Participamos de uma conferência com a ministra da Casa Civil Dilma Roussef e ela admitiu que a crise é forte. No ano passado houve um alto índice de desemprego", afirmou Santos, durante o anúncio das metas para este ano nesta segunda (26). Ele explica que, por causa disso, "enxugou" em 7% os investimentos na área de infra-estrutura. A "abstinência" anti-crise segue até 10 de abril.

"Só vamos gastar com o que for considerado essencial para a sociedade". O controle será feito pelos secretários de Planejamento, Orçamento e Gestão e de Finanças, Chico Galindo e Guilherme Muller, respectivamente. Criticado por alguns opositores pela criação de cinco novas secretarias, o prefeito argumenta que não vai fazer novas contratações de funcionários. "Hoje temos 519 comissionados. Com essas novas secretarias continuaremos com os mesmos 519", garante.

Para controlar o aumento da folha de pessoal após a contratação de novos secretários, o prefeito afirma que vai cortar outros gastos. "Da vice-prefeitura, que tem 30 cargos, tiramos 10 cargos". Enfatiza ainda que no Natal passado economizou R$ 400 mil em enfeites e, agora, pretende cortar custos no Carnaval. Adiantou que não vai trazer nenhuma banda nacional para animar o evento na Capital, o que deve gerar uma economia de aproximadamente R$ 180 mil.





Fonte: RD News

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://www.reporternews.com.br/noticia/165689/visualizar/