Publicidade
Repórter News - www.reporternews.com.br
Nacional
Terça - 11 de Dezembro de 2007 às 15:34

    Imprimir


A redução do número de acidentes e mortes nas rodovias é também uma questão de segurança pública, segundo especialistas no assunto e policiais rodoviários que participam de seminário iniciado hoje (11), em Brasília, pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

O objetivo do encontro é avaliar os trabalhos realizados e discutir medidas para minimizar o número de vítimas do trânsito.

Segundo o coordenador de Controle Operacional da PRF, inspetor Alvarez Simões, os problemas de trânsito não podem ser analisados de maneira isolada. Ele pediu rigor no tratamento de motoristas imprudentes.

“Todos os elementos que constituem o trânsito estão intrinsecamente ligados aos elementos da segurança pública. Não há diferença entre uma vida perdida por assassinato ou por um acidente de trânsito. É tão assassino o que puxa o gatilho de uma arma quanto o que ingere bebida alcoólica e dirige sem condição de fazê-lo. Portanto, trânsito também é segurança e saúde pública”, afirmou.

De acordo com informações oficiais, de janeiro até novembro deste ano, foram registrados cerca de 110 mil acidentes nas rodovias federais brasileiras. O número superou todas as ocorrências registradas em 2006. Até o fim de novembro, 6.087 pessoas morreram e mais de 66 mil ficaram feridas em colisões nas estradas.

Para punir devidamente os responsáveis por acidentes de trânsito, Simões defende ajustes na legislação e se diz favorável a penas mais rígidas. “Temos que fazer um enfrentamento severo. A legislação para quem tira a vida do outro usando um veículo como arma tem que ser muito dura." Simões lembrou que, em alguns lugares, juízes já vêm julgando crimes de trânsito como sendo dolosos. "A cultura de ir para o botequim beber e voltar para casa dirigindo tem que ser combatida com rigor”, afirmou.

O uso de bebidas alcoólicas também é apontado como grande vilão do trânsito pelo chefe do 3º Distrito da PRF no Amazonas, inspetor Marco Aurélio Almeida. De acordo com ele, as rodovias do estado são tranqüilas, se comparadas às de outras regiões do país, mas, ainda assim, os motoristas imprudentes são considerados uma ameaça.

“O maior índice de acidentes na nossa região é causado por imprudência e embriaguez. Apesar das ações realizadas pela Polícia Rodoviária para combater e fiscalizar, ainda assim eles continuam acontecendo”, disse o inspetor.

Uma das medidas apontadas pelos participantes do seminário para melhorar a segurança nas estradas é o aumento do efetivo policial. No último domingo (9), seria realizada seleção pública para contratar agentes para os estados de Mato Grosso e Pará, mas o concurso foi cancelado por indícios de fraude. De acordo com a assessoria da PRF, as provas serão realizadas no primeiro semestre do ano que vem.

O seminário da Polícia Rodoviária Federal precede a tradicional Operação Verão, realizada em todo o país. As ações nesta época são voltadas para as festas de fim de ano e para o carnaval, quando normalmente eleva-se o número de mortes nas rodovias. A previsão é de que dez mil agentes e duas mil viaturas estejam à disposição da polícia para fiscalização e prevenção de acidentes.





Fonte: Folha Online

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://www.reporternews.com.br/noticia/194665/visualizar/