Repórter News - www.reporternews.com.br
Saúde
Quinta - 27 de Julho de 2006 às 15:13

    Imprimir


A Secretaria de Estado de Saúde (Ses) esclarece à população que a queda nos índices de umidade relativa do ar deve ser combatida com a tomada de medidas preventivas e paliativas que visam tornar mais confortável o ambiente e a convivência com o clima seco. As recomendações são em relação às doenças respiratórias, cardiovasculares e a desidratação.

A Saúde do Estado auxilia os Escritórios Regionais com informações, no sentido de ficarem atentos às orientações passadas pela Defesa Civil. As medidas são praticadas automaticamente todos os anos de acordo com a situação de alerta da Defesa Civil.

Os municípios são monitorados pelos Escritórios Regionais e desencadeiam as ações devidas da Atenção Básica. Os boletins diários da situação climática, as recomendações de procedimentos e precauções que as pessoas devem adotar com as atividades físicas são repassadas.

O secretário adjunto de Saúde, Antonio Augusto de Carvalho, julga que os maiores cuidados devem ser tomados no tratamento diário com as crianças e os idosos. “A ingestão de muito líquido é importante para o organismo, o que evita a desidratação. Especificamente no caso das crianças, o líquido deve ser dado de acordo com o gosto delas. É recomendado dar sucos, água de coco ou água natural”, disse.

Augusto de Carvalho cita outras recomendações para essa época do ano. “A ingestão de líquido deve ser aumentada em um terço do recomendado normalmente. No caso dos adultos, que devem tomar dois litros de água diariamente, essa medida deve subir para três litros. Para as crianças o líquido deve ser oferecido constantemente. Refrigerantes devem ser evitados pois não hidratam o corpo. Banhos são recomendado de 3 a 4 vezes ao dia, justificando a retenção do líquido no corpo como medida preventiva”, sugeriu.

Para aliviar as irritações nasais, comuns nessa época, é indicado o uso de um soro hidratante com recomendação de um especialista, nesse caso de um otorrinolaringologista. Já para a irritação dos olhos o oftalmologista poderá recomendar um colírio. Muitas crianças e idosos sentem um ressecamento das vias aéreas superiores (nariz, ouvido e garganta), podendo causar tosse contínua, sangramento no nariz e dor de ouvido. Nesses casos uma unidade de saúde deve ser consultada.

É bom evitar comidas gordurosas e de difícil digestão. O ideal é promover uma mudança alimentar. Verduras, legumes, frutas e carne branca são alimentos recomendados para esta situação de clima seco e muito calor. Manter toalhas molhadas e vasilhas com água em aposentos das casas e também nas cabeceiras das camas são medidas que podem ser tomadas na busca de se aliviar a secura provocada pela baixa umidade do ar nas residências.

Evitar exposição do corpo ao sol, sempre que tiver que sair ao sol usar acessórios de proteção como um chapéu boné ou guarda sol, usar protetor solar, evitar caminhadas ou exercícios físicos entre 9 e 16 horas e evitar beber bebidas alcoólicas são medidas preventivas que ajudam no bem estar e também podem evitar chegar ao ponto de a pessoa passar tão mal que precise recorrer a um Posto de Pronto Atendimento.

A previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) é que, até sexta-feira (28.07), o tempo fique claro a parcialmente nublado, com névoa seca. As primeiras chuvas são esperadas apenas entre o final de agosto e a primeira quinzena de setembro.

Segundo o 9º Distrito de Meteorologia de Várzea Grande a média de chuvas para o período de junho e julho oscilou, nos últimos 30 anos, entre 16 e 11,5 milímetros. A umidade mínima do ar, nesta época, nunca foi inferiores a 45%. Este ano apresentou baixa histórica de 25% registrado no dia 26 de julho.





Fonte: RMT Online

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://www.reporternews.com.br/noticia/287019/visualizar/