Repórter News - www.reporternews.com.br
Polícia Brasil
Quarta - 17 de Maio de 2006 às 07:40
Por: Adilson Rosa

    Imprimir


O supervisor de vendas Romirço Ferreira de Lima, de 32 anos, foi assassinado com dois tiros durante um assalto em frente a uma casa no Jardim Paula I, em Várzea Grande. O latrocínio (roubo seguido de morte) ocorreu anteontem à noite. Testemunhas disseram que Romirço estava em companha de mais três amigos em frente da casa. Em dado momento, apareceram dois rapazes armados com revólveres, que renderam todos, exigindo pertences e a chave uma motocicleta estacionada na calçada.

Os ladrões pediram mais coisas de valor, porém as vítimas entregaram dois celulares e a chave do veículo. Um dos bandidos ficou irritado com o supervisor e não teria visto a chave da moto. “Então quer esnobar? Você vai ver só, cara”. Em seguida, atirou duas vezes, atingindo o tórax da vítima. Um dos rapazes reagiu e tentou correr atrás dos criminosos, mas um deles atirou duas vezes acertando-o de raspão.

Os ladrões fugiram de bicicleta. Levado ao Pronto-Socorro de Várzea Grande (PSVG), o supervisor de vendas morreu durante o trajeto. Segundo policiais da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), os bandidos abandonaram as bicicletas e roubaram uma moto, fugindo em alta velocidade.

De acordo com o relato de uma vizinha, Romirço saiu de sua casa para comprar ovos num mercadinho. Na volta parou na casa de um amigo, onde estavam mais dois rapazes. “Ele nunca parava lá. Ficou e mostrou a foto da namorada. Não demorou muito e apareceram os ladrões”, comentou.

O supervisor de vendas morava desde o ano passado no bairro, numa casa construída nos fundos da construção onde vive a mãe, na rua E. Até o ano passado, ele vivia em Santa Helena (PR) e veio ficar com a família – as irmãs moram em casas próximas à da mãe.

Os policiais acreditam que poderão identificar logo os dois assaltantes, pois eles agem com freqüência. Moradores disseram que os ladrões - um rapaz alto e outro baixo - sempre roubam pedestres, principalmente à noite. “Não podemos andar dois quarteirões à noite com tranqüilidade, pois corremos o risco de sermos assaltados”, disse um morador.

As vítimas informaram que os ladrões não aparentam ser menores de idade. “Pelo contrário. Eles têm cara de quem tem mais de 20 anos”, disse um morador. Diante da informação, o chefe de operações da Delegacia de Repressão a Roubos e Furtos (Derrf) de Várzea Grande, policial civil Edson Leite, deverá chamar as quatro testemunhas para fazer o reconhecimento através de fotografia existentes nas fichas criminais.





Fonte: Diário de Cuiabá

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://www.reporternews.com.br/noticia/300633/visualizar/