Publicidade
Repórter News - www.reporternews.com.br
Saúde
Terça - 18 de Maio de 2004 às 21:49
Por: Simone Wesley

    Imprimir


Dia 19 de maio é o Dia Mundial de Combate aos tipos de Hepatite Viral. A hepatite viral é uma doença contagiosa que ataca o fígado. Os tipos mais comuns da doença são as A, B e C, que podem ser crônicas, sem cura, e as agudas que duram em média de um a três meses.

Para diminuir os casos de hepatite viral no Estado, que no período de 1995 a 2002 houve 6.158 casos notificados, a Secretária de Estado de Saúde (SES) vem implementando várias ações para combater essas doenças em Mato Grosso. Em setembro de 2003, foi implantado o Comitê Estadual de Combate as Hepatites que regularizou a realização dos exames de sorologia no Laboratório Central do Estado (Lacen), aumentando a cobertura vacinal e garantindo a medicação de alto custo para o tratamento das hepatites crônicas. Além de estar realizando capacitação de médicos e técnicos da Vigilância Sanitária para efetuar o controle e o tratamento das hepatites virais.

De acordo com o secretário Adjunto de Saúde, Juliano Canavarros, a prevenção é a melhor maneira de coibir o aumento da doença no Estado. “A vacina contra Hepatite B pode ser encontrada em qualquer posto de saúde, o tratamento é gratuito em qualquer unidade de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS)”, explicou Juliano Canavarros. Em Mato Grosso a vacina está implantada no serviço de imunização da SES para a população menor de 20 anos e disponível para todas as pessoas com risco de contrair a doença (contatos e grupos de risco).

A hepatite A atingiu menores de 15 anos em 71% de casos notificados e a hepatite B teve 73% dos casos com idade igual ou superior a 20 anos. Já a hepatite C com 76% de casos notificados na faixa etária acima de 20 anos.

A hepatite A é causada pela ingestão de alimentos sólidos ou líquidos contaminados. Só existe na forma aguda. A hepatite B é um das mais contagiosas. Pode ser aguda ou crônica. É mais comum em países tropicais. A Amazônica Legal, que inclui o norte de Mato Grosso, é um dos locais de maior ocorrência de casos no Brasil. A transmissão se dá por meio do contatado com secreções ou fluidos corporais contaminados, como por exemplo, relação sexual sem proteção, uso de seringas ou agulhadas contaminadas. Já a hepatite C é uma infecção silenciosa, pois não possui sintomas, pode ser adquirida por agulhas contaminadas ou transfusão de sangue antes dos anos 90.

“O tratamento das hepatites aguda é muito repouso, alimentação leve, não fazer uso de bebidas alcoólicas e jamais usar medicação se não for prescrito por profissionais competentes e capacitados. Nas hepatites crônicas, o tratamento é realizado por medicação específica para cada tipo de vírus”, destacou o secretário adjunto de Saúde. A cura é possível. Em caso de dúvida procure uma unidade de saúde mais próxima.

“Mato Grosso está realmente empenhado em implementar medidas de combate as hepatites, com o objetivo de promover saúde com qualidade a toda a população”, finalizou o secretário de Estado de Saúde, Marcos Machado.




Fonte: Secom - MT

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://www.reporternews.com.br/noticia/383412/visualizar/