Publicidade
Repórter News - www.reporternews.com.br
Cultura
Quarta - 30 de Junho de 2021 às 18:18
Por: Malu Sousa/Da Assessoria

    Imprimir


O Grupo Flor Ribeirinha foi o primeiro classificado no 26º Festival de Dança Folk Harbor realizado na Polônia. Além do primeiro lugar no júri técnico o grupo também ficou em primeiro lugar do prêmio Favorito de Público. A cerimônia de premiação ocorreu nesta quarta-feira, 30 de junho em Gorzów Wlkp. O Flor Ribeirinha representou o Brasil a convite da Federação de Festivais Internacionais de Dança-FIDAF- Brasil.

O Grupo que vai completar 28 anos de existência, no próximo mês de julho, já se apresentou em muitos estados brasileiros e em vários países. Em 2017 conquistou o primeiro prêmio mundial na Turquia com o espetáculo ‘Mato Grosso Dançando o Brasil’.

A presidente e fundadora do Flor Ribeirinha, Domingas Leonor, Mestra da Cultura de Mato Grosso, destaca com muito orgulho a conquista de mais um prêmio internacional. “É a consagração de um trabalho árduo na preservação da nossa cultura, mesmo diante das dificuldades“, disse ela emocionada.

Para o Festival de Dança Folk Harbor, foram selecionados apenas 10 grupos para a competição online. O evento foi realizado no período de 26 a 30 de junho e aconteceu de forma híbrida, com a apresentação in loco dos grupos da Polônia, na competição, enquanto os grupos estrangeiros, enviaram as apresentações por meio de vídeos. Devido ás restrições impostas pela pandemia, o grupo enviou um vídeo para a modalidade em desempenho competitivo. Desde a cerimônia de abertura em Gorzów até o encerramento com concerto de gala, as apresentações foram transmitidas por meio dos canais de mídia do próprio festival.

O diretor artístico e coreógrafo do Flor Ribeirinha, Avinner Agusto, ressalta que o grupo mostrou a tradicional dança do Siriri e o Boi Bumbá, que encantaram o público. O trabalho foi avaliado por um júri técnico composto de cinco representantes de Federações Internacionais, como da Coréia do Sul, Rússia, Bulgária e dois representantes das Américas.

“Em um momento que a pandemia impossibilitou o Flor Ribeirinha de realizar a viagem internacional, participar do festival neste formato virtual, e ser consagrado com este título mundial, mostra a força da nossa cultura, além das adversidades. Neste sentido nosso trabalho, continua mantendo viva a nossa esperança e produzindo memórias que marcam a história da nossa gente. A coletividade continua a existir, mesmo não podendo estar todos juntos fisicamente. Sentimos toda a energia do público na perspectiva de mobilização e o reconhecimento dos jurados internacionais com a estética e história da nossa apresentação artística, disse ele, destacando que o prêmio é um marco para o Flor Ribeirinha e representa um marco para a cultura de Mato Grosso





Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://www.reporternews.com.br/noticia/444341/visualizar/