Publicidade
Repórter News - www.reporternews.com.br
Saúde
Sábado - 22 de Outubro de 2011 às 10:31
Por: Iara Vilela

    Imprimir


Pacientes levaram ventiladores para aguardar atendimento nos corredores do PS (Foto: Iara Vilela )
Pacientes levaram ventiladores para aguardar
atendimento nos corredores do PS (Foto: Iara Vilela)



A superlotação no Pronto-Socorro de Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, faz com que os acompanhantes dos pacientes tenham que levar vários objetos para garantir o mínimo de conforto às pessoas que estão internadas no local. O hospital está com os corredores cheios de pacientes desde que o Pronto-Socorro de Cuiabá fechou as portas para atendimentos de urgência e emergência depois que uma forte chuva derrubou parte do gesso da Ala Vermelha.

Na manhã desta sexta-feira (21), em apenas um dos corredores do hospital, mais de 10 pacientes recebiam atendimento em leitos improvisados. Como o local não possui ventilação e a temperatura na cidade beira os 40°C nesta época do ano, muitos tiveram que levar ventiladores para amenizar o calor. “Meu irmão está internado há quatro dias e trouxemos o ventilador porque aqui fica insuportável, não corre nem vento”, reclamou Mara Lúcia de Sousa.

Todos os 136 leitos da unidade estão ocupados e, por conta disso, pacientes são atendidos nas cadeiras e bancos do hospital. Como não há mais espaço para os pacientes se sentarem, muitos improvisam e levam seus próprios assentos. Esse é o caso de Osmarina Gonçalves, que teve que levar uma cadeira da sua própria casa para que o filho pudesse ficar sentado. “A cadeira eu trouxe de casa, mas durante a semana, eu tive até que segurar o soro para ele ser medicado”, revelou.

Pacientes e ventilador (Foto: Iara Vilela/G1)
Pacientes são atendidos no corredor do PSVG.
(Foto: Iara Vilela/G1)



De acordo com o superintendente do Pronto-Socorro do município, Wagner Marcondes Lopes, o hospital atende em média 12 mil pacientes por mês e os atendimentos cresceram 50% desde a reforma no PS de Cuiabá. “O Pronto-Socorro de Várzea Grande deixou de ser local e passou a atender pacientes de todo Mato Grosso”, disse o superintendente.

Liminar
Na manhã desta sexta-feira, o juiz Jones Gattass, da 2ª Vara Especializada de Fazenda Pública de Várzea Grande, determinou que os pacientes em casos de urgência e emergência deixem de ser encaminhados ao Pronto-Socorro Municipal da cidade, que fica na região metropolitana de Cuiabá, e passem a ser levados para outros hospitais, incluindo também os hospitais particulares "independentemente de serem conveniados ao Sistema Único de Saúde". A decisão atende a um pedido a Defensoria Pública de Mato Grosso, que entrou com uma ação devido à superlotação daquela unidade de saúde.





Fonte: Do G1 MT

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://www.reporternews.com.br/noticia/71730/visualizar/