Repórter News - www.reporternews.com.br
Politica Brasil
Segunda - 22 de Junho de 2009 às 17:50
Por: Bruno Garcia

    Imprimir


A transparência nos gastos do duodécimo repassado pela Prefeitura de Cuiabá para a Câmara de Vereadores - R$ 1,8 milhão/mês - foi cobrada pelo vereador Toninho de Souza (PDT), na semana passada. Ele solicitou ao presidente do Legislativo, Deucimar Silva (PP), a divulgação, com urgência, da aplicação dos recursos.

"Essa será a única forma de acabar com todas as dúvidas referentes aos gastos da Câmara de Cuiabá: colocar tudo em pratos limpos. Essa é uma bandeira que defendi", afirmou o pedetista.

Toninho de Souza observou que, da mesma forma que os vereadores estão divulgando como gastam a verba indenizatória - R$ 9 mil/mês para cada parlamentar -, o recurso gerenciado pelo presidente também tem que ser mostrado para população.

Atualmente, os vereadores apresentam demonstrativo de gasto da verba indenizatória no site oficial da Câmara [www.camaracba.mt.gov.br]. "Já conversei com o Deucimar e ele me garantiu que irá divulgar como vem aplicando esse dinheiro", disse o parlamentar.

Crise

Na avaliação de Toninho de Souza, a Câmara de Cuiabá vem passando por um momento de crise sem precedentes. E citou os escândalos envolvendo o ex-presidente Lutero Ponce (PMDB) - rombo de R$ 3 milhões nos cofres do Legislativo, durante sua gestão em 2008, como apontou auditoria feita pela Mesa Diretora - e Ralf Leite (PRTB) - acusado de suposta quebra de decoro parlamentar, ao ser flagrando fazendo sexo oral com um travesti menor de idade, no Zero KM, em Várzea Grande.

"A sociedade comenta sobre os escândalos na Câmara Municipal e quer uma atitude de nossa parte ", afirmou o vereador do PDT.

Trauma

Entretanto, Toninho de Souza acredita que essa exposição negativa da Câmara perante a sociedade é necessária para mudar o ciclo "tenebroso" do Poder Legislativo. "Quando se muda um sistema, rompe algo que vinha sendo realizado. É lógico que isso impacta. Mas, em algum momento, esses escândalos da Câmara teriam que ter um fim. Não se coloca um fim a um sistema sem traumas. Tudo isso que a sociedade está vendo é porque há o empenho de se quebrar esse ciclo. Uma auditoria sendo feita e divulgada, por mais que isso assuste, isso é benéfico", ressaltou.

Moralização

O vereador disse acreditar que, neste ano, a Câmara, mesmo que seja prejudicada em seu desempenho, tem que centrar esforços para concluir o processo de moralização anunciado por Deucimar Silva. "Temos que aproveitar este ano para, realmente, dar a satisfação para sociedade sobre esses dois casos, que estão na boca do povo. E para que, no ano que vem, tenhamos tranqüilidade para tocar o trâmite normal", disse.

Racha

Toninho de Souza afirmou que a Câmara está rachada e, atualmente, existem dois lados: O Grupo dos 10, que elegeu Deucimar como presidente, e o grupo derrotado, que apoiou Luecy Ramos (PSDB) e teve Lutero Ponce como articulador na disputa. "Um lado que defende o que é certo e outro que tem outros interesses. Agora, vamos ver quem vence essa. Uma coisa é certa: eu tenho lado. Sempre acredito no lado bom da história. Escolhi um lado e defendo-o com todas as forças", afirmou.

Mídia

Toninho, que é jornalista e apresentador de televisão, analisou que os escândalos da Câmara acabam se sobrepondo aos trabalhados de alguns vereadores. Para ele, os escândalos sempre acabam ganhando mais espaços na mídia.

"São tantos escândalos que acabam se sobrepondo trabalhos importantes. Por exemplo: a Sala do Vereador, no Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá e a criação da Comissão de Saúde. Pouco se fala sobre essas medidas, pois os escândalos no Legislativo tomam conta da pauta", completou o parlamentar.





Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://www.reporternews.com.br/noticia/158358/visualizar/