Publicidade
Repórter News - www.reporternews.com.br
Politica Brasil
Terça - 27 de Janeiro de 2009 às 11:30
Por: Glaucia Colognesi

    Imprimir


O atual presidente da União das Câmaras de Vereadores de Mato Grosso (UCMMAT), vereador Aluízio Lima Pereira (PR), foi acusado pelo vereador Marcos Júnior Mendonça (PTB), do município de Água Boa, de mudar o estatuto da instituição em benefício próprio.

Marcos Júnior Mendonça é candidato da chapa de oposição. Ele diz que o atual presidente alterou o estatuto para que, mesmo perdendo a eleição no dia 2 de fevereiro, possa assumir o cargo de superintendente da entidade recendo um salário de R$ 7 mil.

Além de garantir cargo na instituição, Aluísio é acusado de estabelecer cláusulas no estatuto que dificultam o processo de eleição da nova diretoria. A suposta cláusula instituiria automaticamente a desfiliação das Câmaras municipais da União das Câmaras Municipais, no dia 31 de dezembro, a cada dois anos, período em que são realizadas as disputas pela direção do órgão.

Segundo Marquinhos, já a nova filiação é permitida somente entre os dias 1º e 17 de janeiro, período de recesso dos Legislativos municipais. "São 141 Câmaras no Estado. Hoje temos 79 filiadas com direito a voto graças à nossa articulação. A UCMMAT não atingiu nessa atual gestão o objetivo proposto que é de dar assessoria e defender as causas dos vereadores. Não sabemos nem qual é o orçamento da entidade, solicitamos a informação por meio de requerimento e de advogado, mas não obtivemos resposta. Lá é uma caixa-preta", acusou o candidato.

De acordo com o petebista, no começo da disputa concorriam também os vereadores Francisco Vuolo (PR), de Cuiabá, e Otávio Augusto Regis de Oliveira (PTC), de Curvelândia. Porém ambos passaram a apoiá-lo por representar uma chapa democrática e de mudança.

Voto no "antiético" - Apesar do escândalo envolvendo o presidente da entidade e de classificar a atitude como antiética, o vereador Mohamed Zaher (PR), de Rondonópolis, afirmou que pretende votar no candidato do partido na disputa pela presidência da instituição.

"Eu não concordo com a modificação feita no estatuto pelo Aluízio, considero falta de ética. Mas o meu voto é para o PR", afirmou. Também manifestou apoio ao atual presidente, o vereador Ananias Martins Filho, também do PR de Rondonópolis.

Outro lado – O atual presidente da UCMMAT, Aluízio Lima Pereira (PR), negou todas as acusações feitas pelo vereador Marcos Júnior Mendonça (PTB), na manhã desta terça-feira (27/01).

Segundo Aluízio, não existe a cláusula que confere o cargo de superintendente ao ex-presidente da instituição. “O que existe é uma cláusula, aprovada em assembléia, que regulamenta que a superintendência deve ficar para vereadores e não para terceiros. Marquinhos está tentando distorcer tudo, tentando ganhar a qualquer custo. É um desequilibrado que não conhece a instituição, não conhece o estatuto”, disparou.

Já sobre o fato do vereador do seu partido, Mohamed Zaher, classificá-lo como anti-ético, Aluízio afirmou que ele está mal informado, mas que vai informá-lo da verdade. “Nenhuma direção de entidade de classe consegue mudar o estatuto sem passar por assembléia, isso vai contra o ordenamento jurídico”, reiterou.

Quanto à acusação de que não teria respondido requerimento pedindo informações sobre o orçamento da instituição, Aluízio afirmou que a assessoria jurídica do candidato de oposição foi atendida em tudo que solicitou. Mesmo assim, Aluízio não soube dizer em números o orçamento atual do órgão que dirige. “Eu tenho que verificar o valor preciso, porque se eu disser que é R$35 mil e for R$40 mil?”, disse.





Fonte: PnB Online

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://www.reporternews.com.br/noticia/165662/visualizar/