Publicidade
Repórter News - www.reporternews.com.br
Nacional
Quinta - 29 de Novembro de 2007 às 20:09

    Imprimir


BELÉM - A juíza de Abaetetuba, no Pará, Clarice Maria de Andrade, que abriu processos contra a menor L. como se ela fosse adulta, será convocada a prestar esclarecimentos na CPI do Sistema Carcerário. A menina ficou presa 24 dias numa cela com vinte homens, foi estuprada e torturada. A deputada Jusmari Oliveira (PR-BA) anunciou a convocação durante audiência de integrantes da CPI com a governadora Ana Júlia Carepa, no Palácio dos Despachos, sede do governo paraense.

A presidente do Tribunal de Justiça, desembargadora Albanira Bemerguy, que até agora não se pronunciou sobre o episódio, também será convocada pela CPI. Oliveira disse que a CPI recolheu documentos de mais quatro casos de outras mulheres presas na mesma delegacia com homens. "Isso foi informado ao Poder Judiciário, mas nada fizeram", acusou. Outra deputada, Luiza Erundina, acrescentou que a Justiça paraense não poderia "ter se omitido, muito menos ser conivente" com a situação da garota.

O paraense Zé Geraldo (PT-PA), declarou após a reunião que o episódio ocorrido no Estado abre a possibilidade de um amplo debate sobre a situação carcerária no país. "Nós temos uma cultura de achar que o preso tem de ser maltratado por aquilo que cometeu", reconheceu. Ele defendeu as atitudes tomadas por Ana Júlia para resolver o problema carcerário e as violações de direitos humanos no Pará que, enfatizou, ocorrem há décadas. "A governadora está determinada e vai agir com a paciência que é preciso."




Fonte: AE

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://www.reporternews.com.br/noticia/196228/visualizar/