Repórter News - www.reporternews.com.br
Esportes
Quinta - 08 de Junho de 2006 às 07:07

    Imprimir


Kaká ainda é o menino prodígio da seleção brasileira: fala, joga e se comporta fora de campo como se não tivesse defeitos. Mais do que em Ronaldo, Ronaldinho e Adriano, é no meia do Milan que o técnico Carlos Alberto Parreira apóia toda a estrutura do quadrado mágico.

Kaká é o único dos quatro a ter múltiplas funções na equipe. Ele marca, carrega a bola da defesa para o ataque e ainda funciona como um atacante surpresa “vindo de trás“ para um arremate quase sempre certeiro, informa a Agência Reuters.

“Tenho certeza que ele vai fazer uma belíssima Copa“, diz o treinador, elogiando o jogador que mesmo de férias liga para o preparador físico Moracy Sant"anna para pedir um programa especial de treinos físicos.

“Fico feliz em saber que todo mundo me vê pronto, porque é assim que eu me sinto: pronto para a estréia. Sinto que é um grande momento da minha carreira, um momento excelente para uma Copa do Mundo“, disse ele antes do treino desta quarta-feira em Konigstein.

O gol de Kaká no amistoso contra a Nova Zelândia em Genebra, o terceiro do Brasil, é o melhor exemplo de como Parreira imagina a Copa de seu jogador-exemplo.

Ajudando na marcação lá atrás, ele carregou a bola e o time pelo campo inteiro até o famoso chute cruzado da entrada da área, sem defesa para o goleiro.

Kaká é o atleta que melhor explica a filosofia de jogo de Parreira e a organização do time que o treinador tem na cabeça. O segredo do sucesso na seleção de Parreira o próprio Kaká define em uma frase: “A chegada de trás e a volta rápida“.

Ou seja, Parreira conta com a chegada de Kaká no ataque para fazer o gol quando os Ronaldos e Adriano não conseguirem o arremate, e aposta na volta rápida do mesmo Kaká quando os companheiros do quadrado forem desarmados.

“Realmente fico feliz de ter crescido, ter conseguido experiência. Acho que conquistei muito isso quando eu fui para a Itália. Realmente é um grande momento. Não acho que é o maior da minha vida, tenho muito para melhorar“, disse Kaká em outra de suas frases típicas, daquelas prontas para uso pela mídia.

Até no tema clássico da ansiedade pré-Copa, Kaká se exprime e se explica como poucos companheiros de time. “A gente controla isso muito bem, até pelo fato de a maioria jogar na Europa. A gente sabe se controlar, sabe não se deixar envolver pela ansiedade“, disse ele antes de atender com a mesma eficiência mais uma centena de jornalistas.





Fonte: Agência Placar

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://www.reporternews.com.br/noticia/296150/visualizar/