Publicidade
Repórter News - www.reporternews.com.br
Copa 2014
Sexta - 02 de Maio de 2014 às 09:21

    Imprimir


Tony Ribeiro/MidiaNews
Estádio de Cuiabá vai sediar quatro jogos da Copa e já passou por dois grandes testes
Estádio de Cuiabá vai sediar quatro jogos da Copa e já passou por dois grandes testes

O Comitê Organizador Local (COL), da Federação Internacional de Futebol (Fifa), irá realizar apenas mais um teste oficial de operação na Arena Pantanal, no jogo entre a Seleção de Mato Grosso e o Olympia (Paraguai).

A data do jogo ainda não foi confirmada, mas deverá ocorrer no dia 7 ou 14 de maio e, segundo a Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa), deverá contar com ingressos vendidos a preços simbólicos, a fim de estimular a ida da população ao estádio.

“Como será um evento um pouco mais comemorativo, quase que uma inauguração da arena, nós faremos um preço bem mais acessível para que todos possam vir conhecer a arena”, disse o titular da Secopa, Maurício Guimarães.

"Como será um evento um pouco mais comemorativo, quase que uma inauguração da arena, nós faremos um preço bem mais acessível para que todos possam vir conhecer a arena" De acordo com Guimarães, por se tratar de um evento teste, a partida não terá custo significativo ao Estado.

Na ocasião, o COL espera operar com o estádio com capacidade máxima, a fim de corrigir possíveis falhas antes de o estádio receber os quatro jogos da primeira fase da Copa do Mundo, em junho deste ano.

O primeiro teste do COL foi realizado no sábado (26), durante o jogo entre Luverdense e Vasco, que teve público de 17,8 mil torcedores (capacidade máxima para 30 mil pessoas).

Nessa partida foram testadas parcialmente oito áreas do estádio: limpeza e resíduos, transporte, serviços ao espectador, voluntários, alimentação, tecnologia, competições (gramado) e segurança.

De acordo com o gerente-geral de integração operacional do COL, Tiago Paes, no próximo jogo, eles deverão aumentar o escopo de operações, acrescentando à lista a área de serviços médicos para equipes e espectadores (com controle de doping, por exemplo) e de operações de imprensa.

“Gradativamente vamos subir nas operações, mas nem em todas ainda, porque algumas dependem de infraestrutura, das chamadas estruturas complementares, que estarão montadas para o jogo de Chile e Austrália, no dia 13 [de junho]”, disse.

Avaliação positiva

"Ficamos satisfeitos com a arena. É um ambiente muito agradável e gostoso para o telespectador" Segundo Paes, de uma forma geral, o resultado do primeiro teste foi positivo e agradou aos técnicos do COL.

“Ficamos satisfeitos com a arena. É um ambiente muito agradável e gostoso para o telespectador. Isso pode ser sentido na chegada e na saída tranquila da arena. Nem tudo é perfeito e não havia a expectativa de que tudo funcionasse bem. Sabemos das dificuldades e que temos que melhorar cada uma das áreas, tanto as testadas como as que virão pela frente”, disse.

Ele destacou, porém, que ainda há aspectos a serem melhorados, como é o caso do setor de limpeza, visto como o “ponto mais crítico” e que precisa ser trabalhado de forma mais intensa nos próximos jogos, tanto nas arquibancadas inferiores quanto no nível 40, onde a instalação das cadeiras ainda não foi completada.

“Esse é o nosso principal foco para melhoria nos próximos eventos. Porque isso, inclusive, acaba causando entupimento de pias e ralos por restos de obras. E essa manutenção é o que a arena vai corrigir daqui pra frente”, disse.

A falta de lixeiras em número suficiente dentro e fora do estádio, bem como de postes de iluminação – principalmente nas proximidades da escalinata e das choperias – também precisa ser sanada para os próximos eventos.

Outro setor avaliado pelo COL, ainda que parcialmente, foi a questão do transporte, uma vez que a organização interna de chegada e saída dos times é de responsabilidade da Fifa, enquanto a operação de trânsito fica a cargo da cidade-sede.

“Foi um trabalho de bastidores, que não aparece para o público em geral, como a chegada dos ônibus nos vestiários, quem para na frente e atrás, como é feita a manobra para sair. São detalhes pequenos, mas muito importantes para as seleções na Copa do Mundo e que foram feitas da mesma maneira”, disse Paes.

A área de serviços ao espectador, com a atuação de voluntários na orientação de torcedores na chegada e saída do estádio e na organização de filas nas catracas e nos bares e lanchonetes também foi bem avaliada pelo COL.

“Isso faz uma grande diferença e dá a cara da Copa do Mundo. Os voluntários trabalhando com megafones do lado de fora, dando boas vindas e orientando os torcedores, é só um pouquinho do que é feito na Copa do Mundo, porque nós ainda estamos com a quantidade reduzida de voluntários”, afirmou.

"Ajustes ainda precisam ser feitos na iluminação e no sistema de som, mas a regulagem final será feita dentro de duas semanas" Segundo Paes, houve uma evolução muito grande na questão dos bares e lanchonetes.

“As filas nos intervalos ficaram muito bem organizadas, não houve nenhum tipo de confusão e as lanchonetes deram vazão”, disse.

A atuação do COL na alimentação também foi um trabalho de bastidores, voltado aos voluntários e que também funcionou de forma correta, bem com o a área de competições (gramado), que foi preparado de forma semelhante ao que ocorre no Mundial.

A área de tecnologia, porém, precisa passar por ajustes, segundo Paes.

“Não atuamos diretamente nesse setor, mas fizemos algumas medições de luz, som e do sistema de controle de acesso do estádio, conseguindo verificar quantas pessoas entravam por minuto por cada catraca. Ajustes ainda precisam ser feitos na iluminação e no sistema de som, mas a regulagem final será feita dentro de duas semanas”, afirmou o gerente.





Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://www.reporternews.com.br/noticia/394344/visualizar/