Publicidade
Repórter News - www.reporternews.com.br
Policia MT
Segunda - 19 de Abril de 2021 às 15:39
Por: Vinicius Mendes/Olhar Direto

    Imprimir


O delegado Maurício Maciel Pereira, da Delegacia de Polícia Civil de Poconé (a 102 km de Cuiabá), indiciou o pastor da igreja evangélica Assembleia de Deus, identificado apenas como "Adão", por estupro de vulnerável. Ele foi preso no dia 5 de abril, após ser denunciado por uma adolescente amiga de sua filha. O delegado considerou que há indícios suficientes de autoria do crime.

O caso teria ocorrido quando a vítima, amiga da filha do suspeito, tinha 13 anos de idade. Com a amizade entre as duas, o suspeito teria se aproveitado das ocasiões em que a menor ia dormir em sua casa para praticar os abusos. A menina contou para sua mãe, que registrou a ocorrência na Polícia, o que acabou levando o pastor à prisão. Após a prisão, a polícia tinha prazo de dez dias para finalizar a investigação e, após sua conclusão, o delegado decidiu indiciar o suspeito.

"O que se demonstra é a possível prática de atos libidinosos. O inquérito, quando o suspeito está preso, tem prazo de dez dias para ser concluído, então eu poderia realizar outras oitivas, porém, considerando o prazo que se encerrou, e vislumbrando que já haviam indícios suficientes da autoria eu fiz o indiciamento dele pelo crime de estupro de vulnerável", disse o delegado Maurício Maciel.

De acordo com o Código Penal, configura estupro de vulnerável "ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com menor de 14 anos". Agora o inquérito foi encaminhado ao Ministério Público, que irá analisar e decidir se é suficiente para que seja oferecida denúncia contra o pastor. A culpa só é comprovada em eventual ação penal.

"Eu entendo que o trabalho da Polícia Civil, que neste momento é de juntar os elementos que são necessários para o MP oferecer ou não a denúncia, nós reunimos os elementos e ao meu ver tem indício suficiente da autoria. Não estou dizendo que ele fez, estou dizendo que me convenci que tem estes indícios suficientes para que seja oferecida a denúncia, e é prerrogativa do Ministério Público dizer se ele deve ser denunciado", disse o delegado.

O delegado Maurício Maciel Pereira ainda afirmou que se tivesse mais tempo faria mais oitivas, no entanto, do que conseguiu apurar entendeu que era suficiente para indiciar o suspeito.

"O trabalho da Polícia Civil já se concluiu, eu só volto a mexer nesse caso se surgir algum fato novo, que eu tenha que relatar e mandar para o MP, ou se o MP entender que há alguma diligência que precisa que seja feita", explicou.

Em defesa do pastor

A família do pastor acusou a adolescente de mentir, por vingança. Segundo eles a denunciante seria namorada da filha do pastor e teria o incriminado após ele descobrir e determinar o fim do relacionamento.

A cantora gospel Lindalva Martins também teria defendido o pastor. Um tio da adolescente disse que a cantora teria procurado a família dela pedindo para que retirassem a denúncia contra o pastor. Ela ainda teria "profetizado" que caso a mãe da criança não retirasse a queixa contra o pastor, Deus iria tirar a vida de um de seus filhos. A cantora, no entanto, negou estas acusações.





Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://www.reporternews.com.br/noticia/442251/visualizar/