Publicidade
Repórter News - www.reporternews.com.br
Cultura
Sábado - 23 de Julho de 2011 às 10:08
Por: Fabiana Reis

    Imprimir


Festival de Inverno de Chapada dos Guimarães é para grandes e pequenos comerciantes. A cidade que tem a economia voltada basicamente para o turismo, gera neste período, a oportunidade para que os lojistas e vendedores ambulantes aumentem o faturamento. Empreendedor individual há poucos meses, João Batista Brandão Albernaz, 55, vende água de coco e conta que ficará de prontidão na praça Dom Wunibaldo durante os dias do festival, que começou na sexta-feira (22) segue até dia 31.

Natural de Chapada, ele afirma que a expectativa é vender R$ 450 por dia durante a festa, 200% a mais do que o valor registrado em dias normais, quando fecha o caixa com cerca de R$ 150. "A intenção é faturar como no carnaval, quando as vendas foram muito boas porque a cidade estava lotada. A situação é a mesma neste momento", diz ao contar que deixou de ser autônomo para vender água de coco porque os próprios turistas reclamavam que não encontravam o produto na cidade. Albernaz avalia ainda que o Festival de Inverno é uma oportunidade para todos os pequenos comerciantes, ambulantes ou não, terem uma renda melhor no mês de julho, que tradicionalmente é bom por causa do período de férias.
 
Quem também pretende aumentar o rendimento mensal é o comerciante Roberto Lopes Amorim, que vende verduras na cidade e durante a 27ª edição do Festival de Inverno montou uma barraca de espetinho e cachorro-quente na praça. Esta é a segunda vez que ele participa do evento vendendo alimentos e para isso fez o cadastro na Secretarial Municipal de Turismo e teve que atender a vários requisitos, como as questões sanitárias. "Pretendo vender cerca de 400 espetinhos por noite", conta ao complementar que toda a família, em um total de 5 pessoas, vai trabalhar na barraca.
 
Comerciantes maiores também são contemplados com a lotação da cidade. Gerente do supermercado Bom Preço, Dênis Edmar da Silva Pinto, revela que o estoque foi ampliado e aposta principalmente nos fins de semana. "Muita gente vem para a cidade, aluga casas ou fica no hotel, e acaba consumindo mais", afirma ao mencionar que apenas um fator impede que as vendas sejam ainda maiores, o fechamento da rua à tarde, que dificulta o acesso dos clientes com veículo ao estabelecimento. Mesmo com este obstáculo, o gerente afirma que a expectativa é que as vendas sejam 50% maiores, na comparação com dias comuns. 




Fonte: Do GD

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://www.reporternews.com.br/noticia/82589/visualizar/