Repórter News - www.reporternews.com.br
Politica MT
Domingo - 21 de Março de 2010 às 04:12
Por: Mariane de Oliveira

    Imprimir


A campanha para a vaga do desembargador Leônidas Duarte Monteiro, que se aposenta em junho deste ano, já começou entre os membros do Ministério Público. Leônidas foi eleito desembargador em agosto de 1992, pelo quinto constitucional na cota do MP, depois de dois anos como Procurador-geral de Justiça. Entre os mais cotados para a vaga, com maior aceitação entre os colegas, estão o promotor Marcos Machado, os procuradores Mauro Delfino, Edmilson Pereira, Eduardo Jacob e Paulo Prado, além da Sub-procuradora Geral, Eliana Maranhão. Os nomes surgiram em sondagens feitas por A Gazeta, com alguns promotores e procuradores de Justiça.

Apesar de ter o nome lembrado, o promotor Marcos Machado diz que este não é o momento de abordar o assunto, porque deve respeito ao desembargador, que está em pleno exercício do cargo. Machado trabalha na Vara de Direito Agrário, e já atuou no combate ao tráfico de drogas, no Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco), e na defesa do patrimônio público, na época em que foi denunciado o caso que ficou conhecido como "máfia do fisco".

Eliana Maranhão é a segunda na hierarquia do MP. Ela está de férias, mas nos corredores do Ministério Público, já conversou com diversos colegas, colocando seu nome para disputar a vaga. Ela tem sobre os demais a vantagem do cargo, que exige contado direto com todos os promotores, nas mais distantes comarcas do Estado.

O procurador Mauro Delfino já concorreu ao cargo e chegou a figurar na lista tríplice encaminhada para o governador Blairo Maggi. Na ocasião, o escolhido foi o atual desembargador, Guiomar Teodoro Lopes.

Edmilson Pereira é bem conceituado na instituição, mas confidenciou a colegas que se vê impedido de pleitear a vaga por estar ocupando o cargo de corregedor-geral. Eduardo Jacob, que também já ocupou o cargo de procurador-geral de Justiça com mandato bem avaliado, diz que, por enquanto, não cogita a possibilidade de concorrer, porque a vaga ainda não foi aberta.

Promotores consultados por A Gazeta informaram que a procuradora Eunice Helena Barros, filha do procurador aposentado Evaldo de Barros e sobrinha do ex-deputado federal Gilson de Barros, corre por fora e já teria conseguido o apoio de alguns colegas. Contudo, Eunice Helena disse que ainda não pensou sobre o assunto e que, por enquanto, não é candidata.

Já o ex-procurador-geral, Paulo Prado, disse que respeita e admira a carreira de magistrado, mas que sua vocação está ligada às atividades do Ministério Público. Por este motivo, ele descarta a possibilidade de concorrer à vaga. Mas, questionado se pode vir a mudar de opinião, ele concluiu: "O futuro a Deus pertence. O homem está sempre reavaliando suas posições".





Fonte: A Gazeta

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://www.reporternews.com.br/noticia/138934/visualizar/