Publicidade
Repórter News - www.reporternews.com.br
Saúde
Terça - 27 de Janeiro de 2009 às 13:50
Por: Nilson Guedes

    Imprimir


O Brasil ocupa o segundo lugar do mundo em número absoluto de casos de hanseníase, perdendo apenas para a Índia. A doença é endêmica em todo território nacional. As regiões Norte, Nordeste e Centro Oeste são as que apresentam maiores taxas de detecção da doença, um problema de saúde pública que exige uma vigilância evolutiva, pois durante os anos de 2001 a 2003 foram detectados 10.278 casos novos.

No município de Barra do Bugres a hanseníase tem atingido várias pessoas. Durante o período de 2001 a 2007 foram detectados 330 novos casos da doença, conforme dados da Secretaria Municipal de Saúde.

Assim, como forma de combater a hanseníase, a Secretaria Municipal de Saúde de Barra do Bugres, através da Vigilância Epidemiológica, realizará durante toda esta semana, de 26 a 30, a ´Semana de Mobilização para o Controle da Hanseníase´. “Estaremos orientando toda a população sobre a hanseníase e principalmente àquelas pessoas que apresentam manchas pelo corpo, com diminuição da sensibilidade ao calor ou simplesmente a diminuição da sensibilidade, para procurarem as unidades de saúde do município para fazerem os exames e se constatada a doença o tratamento”, comentou a Coordenadora da Campanha Contra Hanseníase, Mara de Souza Silva.

A hanseníase pode começar com uma ou mais manchas esbranquiçadas ou avermelhadas na pele, em qualquer parte do corpo. Em cima destas manchas ou mesmo fora delas a pele fica com a sensibilidade diminuída ou abolida ao calor. Na maioria das vezes as pessoas nem notam estas manchas porque elas não coçam, não doem e, portanto não incomodam.

A transmissão ocorre pelas vias respiratórias (tosse e espirro). A principal fonte de transmissão da doença é a pessoa doente que ainda não recebeu tratamento medicamentoso.

Os principais sintomas são manchas esbranquiçadas ou avermelhadas em qualquer parte do corpo com perca de sensibilidade (dormentes), perca de força muscular das mãos e dos pés, caroços e inchaços no corpo e orelhas, espessamento de nervos de pernas e braços e formigamento no corpo.

Atualmente, existem medicamentos que curam a hanseníase. Quanto mais cedo for iniciado o tratamento, mais rápida será a cura. Os doentes diagnosticados nas formas avançadas também serão curados após o tratamento. Os que são contagiantes, depois de pouco tempo de iniciado o tratamento, deixam de contagiar.





Fonte: Assessoria de Imprensa

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://www.reporternews.com.br/noticia/165643/visualizar/