Publicidade
Repórter News - www.reporternews.com.br
Esportes
Quinta - 03 de Abril de 2008 às 23:34

    Imprimir


O Cruzeiro não precisou se esforçar muito para garantir, com uma rodada de antecipação, o primeiro lugar do Grupo 1 e a vaga nas oitavas-de-final da Taça Libertadores. Na noite desta quinta-feira, a Raposa derrotou o San Lorenzo por 3 a 1, no Ipatingão, com dois gols de Marcelo Moreno, atacante que balançou as redes de todos os adversários celestes na competição, e um do camisa 10 Wagner. Silveira descontou no fim.

O resultado deixa os mineiros com 11 pontos, não podendo mais ser alcançado por ninguém na classificação da chave. Além disso, o clube passa o Fluminense em número de pontos, ficando provisoriamente com a melhor campanha da competição.

O próximo compromisso celeste na Libertadores é no dia 16, contra o Real Potosí, na altitude de 4 mil metros da cidade boliviana, onde o Cruzeiro joga apenas para saber quem pega nas oitavas. No mesmo dia, o time San Lorenzo precisa vencer o Caracas em casa, no jogo que decide a segunda vaga do grupo. Os venezuelanos jogam pelo empate. Neste domingo, o time celeste joga pela última rodada do Campeonato Mineiro contra o Tupi, em Juiz de Fora.

Domínio celeste

A bola só 15 rolou minutos depois da hora marcada pelo atraso causado pela entrada das equipes somada à execução dos dois hinos nacionais. O Cruzeiro começou arriscando de fora da área, com Marquinhos Paraná e Wagner, como se estivesse sentindo o clima do jogo. Até que, aos 10, Apodi bateu cruzado da direita, Ramires escorou para Marcelo Moreno emendar bonito, de primeira, abrindo o placar no Ipatingão. Foi o sexto gol dele na competição.

Com a tranqüilidade no placar, o time mineiro dominou ainda mais as ações do jogo. Marquinhos Paraná chegou a dar um drible sensacional, entre as pernas de Alvarado, levando a torcida à loucura. Aos 32, Moreno foi lançado livre por Wagner, mas se enrolou na hora de concluir. O goleiro Fábio só trabalhou duas vezes nos minutos finais da etapa inicial.

Cochilo azul

A tranqüilidade com que a Raposa terminou a primeira metade do jogo virou sono no início da segunda. Aos quatro, o time celeste errou na saída de bola, Méndez cruzou para Bergessio, tocar rasteiro na trave direita de Fábio, quase empatando o jogo. Aos dez, Romeo cabeceou após cruzamento de Bilos e mandou a bola perto da trave direita do Cruzeiro. Percebendo que poderia ter problemas, o técnico Adilson Batista substituiu o atacante Guilherme, que saiu vaiado, pelo zagueiro Thiago Heleno, retornando após se recuperar das dores no pé direito.

Nada como um gol para botar a casa em ordem. Aos 25, quando tentava recuperar o domínio do jogo, a Raposa aumentou o placar. Wagner cobrou escanteio na marca do pênalti para Marcelo Moreno, de cabeça, bater colocado no canto esquerdo do goleiro Orión, que só ficou olhando o sétimo gol do boliviano na Libertadores. Nos minutos finais, após cobrança de falta de Marcinho, que entrara pouco antes, Ramires se antecipou às mãos do goleiro, e Wagner tocou para o gol vazio.

Os argentinos mostraram que vão brigar firme pela segunda vaga. Aos 43, Silveira aproveitou mais um erro celeste e fez o gol de honra. E no minuto seguinte, quase que o atacante marca mais um, completando chute de Placente.





Fonte: Globoesporte.com

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://www.reporternews.com.br/noticia/182601/visualizar/