Repórter News - www.reporternews.com.br
Saúde
Sexta - 03 de Agosto de 2007 às 14:24
Por: Anderson Acendino

    Imprimir


A Secretaria de Estado de Saúde (Ses) em parceria com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Universidades públicas e privadas, inicia a segunda etapa do projeto “Saúde e Prevenção nas Escolas”, que acontece entre os dias 06 e 10 de agosto, na Escola de Governo. O projeto inclui, na parceria, as Secretarias Municipais de Saúde e de Educação de Cuiabá e Várzea Grande, envolvendo dez escolas dos dois municípios.

O “Saúde e Prevenção nas Escolas” tem como foco principal trabalhar, nas escolas, a prevenção de problemas como morbidade e mortalidade por algum tipo de violência, uso de drogas licitas e ilícitas, gravidez na adolescência e Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), principalmente o HIV.

O projeto inicialmente será aplicado em Cuiabá e Várzea Grande. Posteriormente será estendido aos municípios referencias que são: Juara, Juína, Alta Floresta, Sinop, Cáceres, Diamantino, Barra do Garças, Confresa e Tangará da Serra

A primeira etapa do projeto, que aconteceu no mês de junho, teve como público alvo os educadores das escolas e os profissionais que trabalham nas Unidades Básicas de Saúde no entorno das unidades educacionais. Durante o processo de educação permanente os educadores e os profissionais de saúde, serão multiplicadores das informações de promoção e prevenção. Foram disponibilizados kit educativos contendo preservativos, folder e cartazes, que serão apoio no processo de trabalho nas escolas.

A segunda etapa do projeto é voltada para a capacitação dos lideres estudantis de cada uma das 10 escolas, uma vez que a penetração da informação é maior se repassada de jovem para jovem. O intuito é formar uma grande rede capacitada a atender e orientar os jovens sobre os problemas e dificuldades que encontrarão no dia-dia, visto que hoje cerca de 80% dos casos de transmissão do vírus HIV é decorrente da falta do uso do preservativo.

“Sabemos que a divulgação da informação entre os jovens é a melhor forma de convencer seus pares a fazer uso regular do preservativo, se afastar das drogas e das situações de violência. Assim formamos grupos de educação permanente entre as lideranças estudantis para orientar os jovens dentro das escolas sobre a necessidade do auto-cuidado, criando a perspectiva de que o jovem seja capaz de fazer escolhas que não venham a prejudicar o seu futuro. Este pode ser um exercício interessante de cidadania: incentivar uma cultura pela paz! ”, disse Maria Helena Lopes, Técnica responsável pelo Programa Estadual de Dst/Aids da Ses.

Maria Helena ressalta que o objetivo do projeto não é transformar a escola em unidade de distribuição de preservativos, mas sim orientar o adolescente que saberá onde buscar a proteção necessária para prevenção de doenças e gravidez indesejada, uma vez que é crescente o número de jovens que sofrem com a falta de proteção durante a inciação sexual. “O momento de o jovem iniciar sua vida sexual cabe estritamente a ele, contudo para alertá-los sobre doenças sexualmente transmissíveis e dos riscos de uma gravidez precoce, estamos realizando essas capacitações visando orientação e prevenção da saúde dos jovens”, disse ela.

As escolas envolvidas nesse projeto são escola Presidente Médici, Leovegildo de Mello, Pascoal Moreira Cabral, Júlio Corrêa, Salin Nadaf, Antônio Epaminondas, Rafael Rueda, Constança Palma e Irenice Godói.

DADOS: Segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde (Ses), doenças causadas por vírus do HIV, é a segunda causa de morte entre jovens na faixa etária de 10 a 24 anos. O número de morbidade hospitalar do Sus em adolescentes femininas de 10 a 19 anos, entre 2000 e 2003, foi de 65,5%





Fonte: Assessoria Ses/MT

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://www.reporternews.com.br/noticia/213750/visualizar/