Publicidade
Repórter News - www.reporternews.com.br
Saúde
Quinta - 30 de Março de 2006 às 06:25

    Imprimir


São Paulo - Profissionais de saúde das regiões Norte e Centro-Oeste se reúnem em Belém (PA) a partir de hoje para um encontro de três dias no qual discutirão o consumo indiscriminado de medicamentos pela população. O Seminário sobre Propaganda e Uso Racional de Medicamentos é uma promoção da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), apoiada pelas federações dos médicos (Fenam) e dos farmacêuticos (Fenafar).

A preocupação das autoridades sanitárias com o fenômeno do consumo sem critério de medicamentos se deve a seu impacto nos indicadores de Saúde Pública. A ingestão excessiva ou indevida e as reações adversas aos medicamentos lideram o ranking nacional de intoxicação há sete anos. E o problema não se limita ao Brasil. A Organização Mundial de Saúde (OMS) empreende hoje uma campanha para combater esse descontrole no acesso aos medicamentos, verificado em diversos países.

A Anvisa realizou um primeiro seminário para a Região Nordeste, em Salvador (BA), em meados do último mês de dezembro e levará a discussão aos profissionais das regiões Sul e Sudeste. Os seminários fazem parte de uma estratégia da Agência para atuar em favor do uso racional de medicamentos e também para debater o impacto que a propaganda desses produtos exerce nos hábitos da população.

Além dos seminários, a Anvisa mantém a monitoração permanente da propaganda de medicamentos e produtos voltados à saúde, o projeto das Farmácias Notificadoras e uma campanha de rádio para informar sobre o assunto. As informações são da Agência Saúde.

Dados sobre o uso não racional de medicamentos:

* 15% da população brasileira consome mais de 90% da produção farmacêutica.

* 25-70% do gasto em saúde nos países em desenvolvimento corresponde a medicamentos, comparativamente a menos de 15% nos países desenvolvidos.

* 50-70% das consultas médicas geram prescrição medicamentosa.

* 50% de todos os medicamentos são prescritos, dispensados ou usados inadequadamente.

* 75% das prescrições com antibióticos são errôneas.

* Somente 50% dos pacientes, em média, tomam corretamente seus medicamentos.

* Cresce constantemente a resistência da maioria dos microrganismos causadores de enfermidades infecciosas prevalecentes.

* Aos dois anos de idade, algumas crianças receberam aproximadamente 20 aplicações medicamentosas injetáveis.

* A metade dos consumidores compra medicamentos para tratamento de um só dia.

* 53% de todas as prescrições de antibióticos nos Estados Unidos são feitas para crianças de 0 a 4 anos.

Fonte: Brundtland, Gro Harlem. Global partnerships for health. WHO Drug Information 1999; 13 (2): 61-64.





Fonte: AE

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://www.reporternews.com.br/noticia/308924/visualizar/