Repórter News - www.reporternews.com.br
Educação/Vestibular
Quarta - 14 de Outubro de 2009 às 18:37

    Imprimir


O ministro da Educação, Fernando Haddad, defendeu nesta quarta-feira, em audiência pública na Câmara dos Deputados, que o Estado deve ter uma estrutura para atuar na organização de concursos.

Na avaliação de Haddad, as instituições estatais como o Cespe (Centro de Seleção e de Promoção de Eventos) e a Esaf (Escola de Administração Fazendária) já têm inteligência acumulada para garantir maior segurança dos processos seletivos.

"O que eu tenho ouvido é que há uma preocupação muito grande em relação ao sistema de provas de concurso e suas vulnerabilidades. Uma solução seria uma instância estatal de inteligência que possa atuar em parceria com ministérios e governos para garantir a segurança dos processos seletivos", disse. O ministro sugeriu que essa instância seja uma empresa pública ou uma autarquia.

Alguns parlamentes propuseram que o MEC tenha uma gráfica própria que pudesse imprimir provas como a do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), que foi adiado após o vazamento da prova, e outras avaliações.

O ministro disse acreditar que a Casa da Moeda tenha capacidade instalada para imprimir provas. "Quando você começa a imprimir uma prova de concurso, há uma semelhança muito grande com imprimir dinheiro, porque aquele material vale muito", comparou.

Haddad defendeu que o Congresso Nacional aprofunde o debate sobre a legislação dos concursos, inclusive sobre as punições previstas em lei para o caso de fraudes. " Será que o tratamento penal está adequado para crimes que causam transtornos a milhões de pessoas? Porque existem quebras de sigilo e quebras de sigilo. Nesse caso é um assunto de segurança do Estado", afirmou.





Fonte: Agência Brasil

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://www.reporternews.com.br/noticia/153130/visualizar/