Publicidade
Repórter News - www.reporternews.com.br
Saúde
Quinta - 19 de Fevereiro de 2009 às 11:28
Por: Luis Fernando Correia

    Imprimir


O consumo regular de café não está associado ao risco de acidentes vasculares cerebrais em mulheres. Naquelas que nunca fumaram ou são ex-fumantes, o consumo de até quatro xícaras por dia pode até mesmo diminuir o risco da ocorrência dos derrames.

Os dados são de um estudo que acompanhou por 24 anos mais de 53 mil mulheres, com avaliações seriadas a cada dois a quatro anos. O resultado está edição de 17 de

Os pesquisadores avaliaram os padrões de consumo de café e bebidas contendo cafeína através de questionários dietéticos detalhados. Os dados foram ajustados para os fatores de risco de doença vascular, como idade, índice de massa corporal, atividade física, perfil hormonal e uso de aspirina. Ainda não existia relação positiva entre café e derrames. O resultado que surpreendeu os pesquisadores foi a redução do risco de até 20% nas mulheres que consumiam mais café.

Antes que os bebedores de café se animem, se o consumo de café fosse associado ao tabagismo, o possível benefício se perdia. A diminuição de risco só vale para as mulheres que nunca fumaram ou que são ex-fumantes. Outro aspecto interessante levantado pelos cientistas foi descobrir que o consumo de chá e bebidas cafeinadas não trazia benefício estatístico algum.

Embora os médicos não saibam exatamente como se dá essa redução de risco, a cafeína não deve ser a responsável. Como o café é rico em polifenóis, tal como o vinho tinto, essa pode ser a explicação para a evidência que apareceu na pesquisa. Resumindo, o consumo de café não aumenta o risco de derrames em mulheres, essa diminuição de risco não vale para as fumantes e o chá e as bebidas cafeinadas não têm o mesmo efeito.

Luis Fernando Correia é médico e apresentador do "Saúde em Foco", da CBN.





Fonte: Especial para o G1

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://www.reporternews.com.br/noticia/164396/visualizar/