Publicidade
Repórter News - www.reporternews.com.br
Saúde
Terça - 06 de Maio de 2008 às 14:53

    Imprimir


O governo lança nesta terça-feira (6) uma campanha em todo país para estimular a realização de partos normais. Um levantamento feito pelo Ministério da Saúde revela que as cesarianas representam 80% dos partos cobertos pelos planos de saúde.

A promotora de vendas, Adriana Silva, já tem duas filhas. Os dois partos foram normais. "Foi uma sensação boa porque saiu rápido”, disse. O pai aguarda na sala de espera. Mais calma, depois do atendimento preliminar, Adriana diz que quer repetir a experiência. “Eu vou ter ela hoje e amanhã estou de alta e vou embora”.

Nem todo mundo pensa assim. 43% dos partos em hospitais públicos são cesáreas. Entre as mulheres que tem plano de saúde o numero quase dobra: 80% optam pela cirurgia.

No mundo todo, o Brasil ocupa o segundo lugar em numero de cesarianas. Só perde para o Chile. O ministério da Saúde faz até campanha para se livrar dessa estatística. Quer convencer as brasileiras de que o parto normal é bom pra elas e melhor ainda para os bebês.

No parto com hora marcada, o neném tem mais chances de nascer com problemas respiratórios e a mãe corre o risco de reagir mal à anestesia, ter infecção ou hemorragia. Para este grupo de grávidas é a ultima opção.

A administradora Vaneza Araújo apóia o parto normal. “Eu acho que todas as mulheres deveriam tentar o parto normal, sim , e em ultimo caso, se não der, tentar a cesárea”. O foco da campanha também são os médicos que muitas vezes estimulam a cesariana para ter menos trabalho. O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, diz que cabe ao profissional explicar a paciente que natural é o parto normal.

“Tudo isso se resolve num diálogo franco, com educação, com informação tranquilizando essa mãe e mostrando o contrário: o parto normal tem todas as vantagens possíveis de todos os pontos de vista. Então o profissional médico é fundamental nesse processo”, disse o ministro.





Fonte: G1

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://www.reporternews.com.br/noticia/181089/visualizar/