Publicidade
Repórter News - www.reporternews.com.br
Educação/Vestibular
Sábado - 24 de Março de 2007 às 20:55

    Imprimir


Brasília - Cerca de 53 mil alunos da rede pública de ensino do país possuem algum tipo de deficiência auditiva. Desse total, quase 37 mil têm surdez absoluta e, conseqüentemente, não falam e apresentam dificuldade de aprendizado.

Para que esses alunos tenham igualdade de oportunidades dentro e fora das salas de aula, além de melhor qualidade de relacionamento, o Ministério da Educação começou a distribuir 30 mil kits com um livro didático e um DVD para ensinar as crianças com idade de 6 a 8 anos a Língua Brasileira de Sinais (Libras).

O kit permite ao aluno interagir diante do computador: ele lê em português, vê as figuras e simultaneamente confere a tradução em sinais.

A professora Marlene Goti, assessora técnica do ministério especializada em surdez, disse que essa iniciativa é um grande passo para combater o preconceito e provar que alunos com problemas de audição podem aprender em condições iguais às dos que ouvem normalmente.

''O livro didático é o primeiro passo para desmistificar essa questão de a Língua Brasileira de Sinais ser só para surdos. As crianças que ouvem também terão acesso a esse material, elas estarão na mesma sala, os professores entenderão melhor. A própria criança surda chega à escola sem saber Libras, porque muitas vezes é a única da casa a ter a deficiência e não convive com outras crianças surdas", enfatizou, ao destacar a possibilidade de maior socialização entre os alunos.

Segundo a professora, se o resultado dessa experiência for positivo, o Ministério da Educação poderá financiar a confecção de livros didáticos de sinais para atender também aos alunos do ensino fundamental e do médio.

As escolas que possuem crianças com problemas auditivos e não receberam o kit bilíngüe, acrescentou, podem solicitar ao ministério por meio de documento ou pelo telefone 0800 61 6161. A ligação é gratuita.





Fonte: A Voz do Brasil

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://www.reporternews.com.br/noticia/235219/visualizar/