Publicidade
Repórter News - www.reporternews.com.br
Saúde
Domingo - 18 de Abril de 2004 às 09:39
Por: Rosamélia de Abreu

    Imprimir


No dia-a-dia, a grande maioria das pessoas se esquece da importância da voz. Ela pode revelar o sexo, a idade, o estado emocional e até traços de personalidade. Sem a voz, 70% dos brasileiros não teriam como trabalhar.

A partir de uma iniciativa brasileira, que começou em 1999 e foi seguida pelo resto do mundo, 16 de abril foi escolhido como O Dia Mundial da Voz. A Academia Brasileira de Laringologia e Voz lançou na última sexta-feira uma campanha nacional para detectar doenças provocadas pela má utilização da voz. O tema da campanha deste ano é "Ouça a Voz da Experiência, Cuide de sua Voz".

Em 2003, 45 mil brasileiros foram avaliados, sendo que 25% deles apresentaram problemas na laringe. Dados da Organização Mundial da Saúde OMS) indicam que o Brasil é o segundo colocado no mundo em números de casos de câncer de laringe, perdendo apenas para a Espanha.

Segundo o médico Carlos Adriano Araújo, da Academia Brasileira de Laringologia e Voz, o custo para o país das doenças da voz é alto. “Nos Estados Unidos, diariamente, 28 milhões de trabalhadores têm problemas vocais. Isso gera um custo anual em torno de US$ 2,5 bilhões. No Brasil, existe um levantamento apenas entre os professores. Cerca de 2% deles estão afastados das salas de aula por problema de rouquidão. A perda anual, neste caso, é R$ 100 milhões”, exemplifica o laringologista.

Carlos Adriano orienta que, ao apresentar qualquer alteração, a pessoa deve procurar um médico especialista. Ele explica que as desordens vocais se dão por mau funcionamento da laringe e do sistema respiratório, inflamações, infecções e até mesmo problemas digestivos.

Fatores ambientais e psicológicos e a própria estrutura da personalidade da pessoa também podem provocar distúrbios na voz. De acordo com o laringologista, estudos indicam que 50% das pessoas que apresentam alguma queixa podem ter uma doença benigna nas cordas vocais.

Ao perceber sintomas como rouquidão, ardor na garganta, pigarro e fadiga vocal um especialista deve ser procurado. Muitas pessoas reclamam, também, de sentir "um bolo na garganta".

Os tratamentos vão desde medicamentos e reeducação da voz até cirurgias. Carlos Adriano lembra ainda que o câncer de laringe é a segunda doença mais comum do trato respiratório, perdendo apenas para o câncer de pulmão.

“A incidência mundial é de 18,6 casos para cada cem mil pessoas. No Brasil, um estudo recente em três capitais Porto Alegre, Belém e Goiânia, aponta uma maior incidência de câncer de laringe na capital gaúcha. Isso se deve, entre outros fatores, à política de saúde pública adotada pelo governo do Rio Grande do Sul para detectar precocemente a doença”, justifica o especialista em corda vocal.

Para prevenir os problemas da voz, Carlos Adriano orienta as pessoas a evitar a ingestão de líquidos muito gelados ou muito quentes, bebidas alcoólicas, alimentos ácidos e gordurosos, não falar alto nem sussurrar e abolir o uso de cigarro.

Ele recomenda tomar bastante água e dar uma pausa durante o dia para as cordas vocais, principalmente se for um profissional que trabalha com a voz.

O uso de soluções caseiras como pastilhas, sprays e gargarejos também deve ser evitado para não mascarar ou agravar o quadro da doença, de acordo com Carlos Adriano.




Fonte: Agência Brasil

Comentários

Deixe seu Comentário

URL Fonte: https://www.reporternews.com.br/noticia/385711/visualizar/